Nexus Assessoria

Notícias

REFINANDO A LÍNGUA. Haver: um verbo dengoso

REFINANDO A LÍNGUA. Haver: um verbo dengoso
04 dezembro
10:58 2013

 HAVER: UM VERBO DENGOSO

Locução Verbal: uma palhinha introdutória.

verbo haverA palavra locução vem do Latim “locutio” (modo de falar), de “loqui” (falar). Verbal vem de verbo, coisa que deixa muita gente doida de dar dó… Mas nesta vida a gente tem que encarar as feras, os medos, as inseguranças e as dificuldades, de frente. Encaremos as locuções verbais, que não é um bicho de sete cabeças, mas, às vezes, provocam uma confusão danada! 

A locução verbal é uma expressão formada por dois verbos juntos, com o valor de um. Manja aquela velha frase romântica: “Fulano e Sicrana, dois corações em um”? É mais ou menos assim.

A formação da locução verbal sempre constará de verbo auxiliar + verbo principal. O verbo principal é aquele que expressa a ideia mais importante da oração. Ex: Ele anda muito.

O verbo auxiliar é aquele que auxilia uma forma nominal e dá um toque diferente no sentido da oração. Ex: Ele tinha andado muito.

Os principais verbos auxiliares são: TER, HAVER, ESTAR, IR, SER.  Quando esses verbos se juntam aos principais (últimos na oração), formam  a locução verbal, onde só eles (auxiliares) são conjugados. Os principais ficam na forma infinitiva, no gerúndio ou particípio. Alguns exemplos:

Elas estão limpando a casa / Quando vi, já ia saindo (gerúndio)

Carlos terá falado claramente / Ela é adorada por todos (particípio)

 Vou passear amanhã / Tenho de fazer a lição (infinitivo)

Na verdade, comecei a falar sobre locução verbal porque quero mostrar algumas particularidades do verbo HAVER. Este verbo mais parece o caviar das décadas passadas: estimado, legal de ostentar e complicado de servir. 

O verbo HAVER é dengoso. Olhem só a pirraça:

Quando usado com o sentido de ACONTECER, EXISTIR, OCORRER, ele nunca vai para o  plural. 

Quando ele funciona como sinônimo destes três verbos, ele vira IMPESSOAL (quando não tem sujeito), em qualquer tempo. Desta forma, mantém-se na 3ª pessoa do singular.

É como se o verbo Haver não quisesse ser igual aos outros, não ser um “maria vai com as outras” ao concordar com o sujeito. Os outros verbos aceitam e se comportam bonitinhos:

Existem muitos veículos nas ruas

 muitos veículos nas ruas

Aconteceram vários episódios tristes em sua vida

Houve vários episódios tristes em sua vida

Claro que ocorrerão acidentes se trabalhar deste jeito

Claro que haverá acidentes se trabalhar deste jeito

Vimos então que quando HAVER é sinônimo destes três verbos que coincidentemente começam com vogais (a, e, o), ele sempre fica no singular. E se tiver algum verbo auxiliar junto (olha a locução verbal aí…), a regra também vale para este.

Devem existir muitos malandros por lá

Deve haver muitos malandros por lá

Esta noite vão ocorrer mil coisas surpreendentes

Esta noite vai haver mil coisas surpreendentes

Podem acontecer algumas interferências

Pode haver algumas interferências

Mas tudo isso não quer dizer que o verbo HAVER nunca vai pro plural. Vai, sim. Repare nestes casos:

Função de AUXILIAR (sinônimo de ter nos tempos compostos). Ex: Elas haviam acordado cedo.

Quando usados como verbo pessoal (com sujeito) e ficam com o sentido de obter. Ex: Houveram do juiz a comutação da pena.

Sinônimo de considerar. Ex: Nós o havemos como trabalhador.

Sinônimo de comportar-se. Ex: Eles se houveram com grande respeito.

Com o sentido de lidar.Ex: As crianças houveram-se muito bem na consulta médica.

A – HÁ : Quando usar

Quando falamos, esta dúvida não aparece, mas quando escrevemos, temos que usar a palavra correta. Com ou sem “h”? Na verdade, são palavras bastante distintas, já que A  é preposição e HÁ  é do verbo haver.

Quando tomamos pela ótica de TEMPO, usamos A quando há ideia de FUTURO.

A poucos meses de dar luz, ela ainda não escolheu o nome do bebê.

Chegarei daqui a pouco.

Estamos a um ano das eleições.

E usamos Há quando há ideia de PASSADO (a dica é substituir por FAZ)

Pedro chegou  pouco tempo

Ele viajou para o exterior  vinte anos

Eles começaram a namorar  duas semanas

Então, pessoal, podemos ver que o verbo HAVER permanece invariável quando é sinônimo dos verbos “aeo” (acontecer, existir, ocorrer) e na indicação de tempo passado (Há trinta e poucos anos…). A dica é sempre usar um sinônimo quando tiver dúvidas, mas quando estiver escrevendo e quiser dar uma “abrilhantada” na redação, é simples: estude, pesquise e aprenda!  

Assim como o caviar, o verbo haver tem grandes chances de ser deixado de lado, já que a substituição por outros verbos mais flexíveis é possível  A modernidade traz consigo a marca da praticidade e, no uso da língua, isso é cada vez mais óbvio. Que pena, confesso que adoro essas elucubrações todas!

Titah Kintão

 

<> 

 

Enviar

Busca de notícia

Redes Sociais

facebooktwitterPágina

Horóscopo Virtual