Nexus Assessoria

Notícias

DEPUTADO VICE-CAMPEÃO DE VOTOS EM NANUQUE, COTADO PARA MINISTRO DA JUSTIÇA, É CRÍTICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO  

DEPUTADO VICE-CAMPEÃO DE VOTOS EM NANUQUE, COTADO PARA MINISTRO DA JUSTIÇA, É CRÍTICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO   
14 fevereiro
11:29 2017

RODRIGOO posicionamento do deputado federal Rodrigo Pacheco, do PMDB, indicado pela bancada do partido para ocupar o cargo de ministro da Justiça, é abertamente crítico ao papel do Ministério Público na operação Lava-Jato, da Polícia Federal. Na Câmara, ele votou em medidas que endurecem a fiscalização de juízes e procuradores contra o abuso de autoridade, no pacote anticorrupção, e também apontou a banalização da delação premiada, que tem sido essencial para a Operação Lava-Jato.

Rodrigo Pacheco foi o segundo mais votado em Nanuque nas eleições de 2014 com 1.185 votos, só perdendo para o federal majoritário Eros Biondini (PROS), que obteve 3.908. Ano passado, concorreu ao cargo de prefeito de Belo Horizonte, mas foi derrotado.

ATUAÇÃO

Em sessão da Câmara no ano passado, Pacheco disse que a delação premiada tem sido instrumento de impunidade. “Porque, num universo de 20, de 30 criminosos, se todos fazem a delação, e se tem permitido fazer isso, fulmina o que é a razão de ser do instituto e acaba por gerar, sim, impunidade, porque todos se valem do benefício para todos saírem, no final das contas”, afirmou.

Nesta segunda-feira, o jornal Folha de S.Paulo relembrou entrevista do parlamentar como conselheiro da OAB à TV Assembleia na qual ele fala do poder de investigação do MP. O programa de abril de 2013 falava sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 37) que tira o poder do MP de investigar e deixar esta função somente a cargo das polícias.

VEJA VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=d4zicxLzs-M&feature=youtu.be

“Há uma divisão de atribuições e competências muito clara na Constituição, entretanto em razão de casos concretos que surgiram nos últimos anos, o MP inaugurou procedimentos administrativos criminais análogos a inquéritos policiais, investigando fatos crimes, servindo aquela investigação, unilateral do MP, para propositura por ele mesmo, MP, de ações penais”, afirmou o deputado à época.

Apesar da disputa entre as bancadas do PSDB e do PMDB pela indicação, o presidente Michel Temer já teria sinalizado que é a vez dos peemedebistas. A avaliação, porém, é que o nome será uma escolha pessoal. (Fonte: jornal Estado de Minas)

 

 

 

 

Enviar

Busca de notícia

Redes Sociais

facebooktwitterPágina

Horóscopo Virtual